morte ou vida? parte 1

Era um instrumento de morte violenta e dolorosa. Uma haste horizontal esticando os braços, peito aberto, vulnerável. Uma haste vertical, elevando o corpo, impedindo que os pés tocassem o chão, expondo a derrota a um número maior de expectadores. Violência, intimidação, dominação e morte. Obviamente, Jesus não foi o primeiro, o único, nem o último a morrer em uma cruz.

Os romanos também não eram (não os únicos) ogros malvados comedores de criancinhas. O desprezo à vida humana em favor da “ordem” é comum à maioria das culturas (se não a todas). Fornalhas, forcas, fogueiras, abismos, guilhotinas. Nem a lei hebraica escapa: apedrejamento, espancamento, crucificação. Jesus foi condenado pela própria bíblia.

Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.
Deuteronômio 18:20

Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro, O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o SENHOR teu Deus te dá em herança.
Deuteronômio 21:22-23

Jesus foi morto por pessoas que tinham certeza (atestados por um documento sagrado escrito) de que estavam cumprindo a vontade de Deus. Seria então sem valor o Antigo Testamento? Tenho certeza de que não. Como já disse antes, o Antigo Testamento era a bíblia que Jesus seguia.

Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.
Mateus 5:18

Quando Jesus foi tentado no deserto, todas as suas respostas foram frases do livro “Deuteronômio”. Aliás, as próprias tentações de Satanás foram feitas a partir de trechos do Antigo Testamento, sutilmente diluídas em meias verdades. Os princípios da vida cristã também provêm da Lei hebraica: Ame a Deus de todo o coração (Dt 6:5) e ao próximo como a ti mesmo (Lv 19:18).

Durante algum tempo, o texto de Mateus 5:18 me fez pensar que a “velha lei” era ainda vigente no cristianismo, mas analisando com calma vamos perceber que não é isso que o texto diz. Na verdade, isso é tão incrível que eu vou precisar de uma “parte 2” pra não me delongar neste post. Por isso, por enquanto vou direto ao assunto: “se o Antigo Testamento é bom, e é palavra de Deus, por que tem tanta violência?” O próprio Jesus explica:

E, aproximando-se dele os fariseus, perguntaram-lhe, tentando-o: É lícito ao homem repudiar sua mulher?
Mas ele, respondendo, disse-lhes: Que vos mandou Moisés?
E eles disseram: Moisés permitiu escrever carta de divórcio e repudiar.
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Pela dureza dos vossos corações vos deixou ele escrito esse mandamento;

Marcos 10:2-5

Em outra situação, os fariseus tentaram Jesus levando a ele uma mulher pega em flagrante de adultério. Segundo a lei hebraica, pessoas pegas nessas condições deveriam ser apedrejadas. Dependendo do que Jesus dissesse, eles o acusariam de rejeitar a Lei de Moisés, ou de desobedecer à lei romana, condenando alguém sem o consentimento de um tribunal romano. Então Jesus disse:

“Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.
João 8:7

Jesus aproveita para nos ensinar sobre a graça de Deus, o perdão que recebemos sem merecer (e há como merecer perdão?).

“ninguém a condenou? Eu também não a condeno. Vá e abandone sua vida de pecado”
João 8:10-11

O que quero dizer com essa parte 1 (aberto a contestações) é que todas as religiões são instrumentos moralizantes, que possuem a função de ligar o indivíduo a um bem maior, coletivo. E como instrumentos, dependendo da maneira como são usados podem ser extremamente destrutivos (pensei numa retroescavadeira ou um violino desafinado). Prova disso se vê na história, e mesmo nos jornais atuais. Que fique claro, sou contra a pena de morte. Dói em mim pensar que “por causa da dureza do coração do povo”, Deus deixou ao seu povo durante milhares de anos uma lei que instruía o apedrejamento. Sinceramente, não entendo. Mas por favor, se possível não pare por aqui, leia a Parte 2 .

Sobre Joel Mozart

ilustrador, animador e compositor.
Esse post foi publicado em desenho, e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para morte ou vida? parte 1

  1. Pingback: Morte ou Vida? Parte 2 | caderno virtual

  2. Pingback: rude cruz | caderno virtual

  3. Pingback: o preço | caderno virtual

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s